São muitos os Santuários e Igrejas nesta região. 

Senhora das Necessidades: Do cimo do monte da Borralheira, impregnado de pinheiros e castanheiros, desfruta-se de um panorama raro, com o Rio Távora a banhar a aldeia e os montes circundantes. é um dos miradouros mais fantásticos do concelho e acolhe um dos Santuários mais completos e interessantes da região. Nossa Senhora das Necessidades é ali venerada a 15 de Agosto de cada ano. Em redor da Capela, que guarda vários ex-votos, destaca-se a Casa do Ermitão (que guardava as esmolas dos fiéis), a capela dedicada a Nossa Senhora do Encontro, a Casa dos Milagres, a Casa do Enxadão, a zona de convívio, a altar das missas campais morro do Calvário e a Via Sacra dos Débeis. Um espaço interessante, onde pode fazer um piquenique, passear por entre matas de pinheiros, ou tão somente descansar.

Senhora da Saúde: em Fonte Arcada realiza-se a quinze dias após a Páscoa, e é precedida de novena da pregação. A celebração ficou conhecida pela sua procissão, em que os carros dos bois transportavam os andores desde a igreja até à capela, ao som dos tambores do Zés Pereira. Paralelamente o recinto do santuário acolhe uma feira, tal como no tempo da franqueada feira medieval, mas agora adaptada aos tempos modernos. A Senhora da Sáude é a segunda maior romaria do concelho, pela fé e misticismo que desperta nos peregrinos, e pelo empenho que os populares depositam na sua organização.

Nossa Senhora de Ao Pé da Cruz: acontece a 3 de Maio. O dia da Santa Padroeira é também feriado municipal. As celebrações têm um lugar no Monte de Santa Cruz, onde decorre a missa, o convívio popular e a animação. Os saltos de pára-quedistas no recinto da festa são já parte da tradição. A boa água que brota do lado da capela também não deixa ninguém indiferente, mas é ao redor das mesas de granito, tapadas pela sombra dos pinheiros, que as famílias se juntam e partilham refeições deste dia, cumprindo um ritual que passou de geração em geração. Vale a pena vir a estas festas populares.

Feira dos Santos: em pleno inverno, no primeiro domingo de Novembro, realiza-se a feira do ano. É uma realização que chama multidões, onde se encontram os produtos agrícolas frescos, a doçaria tradicional e peças únicas de artesanato local. É em suma, um acontecimento cultural que tem lugar numa época de grande simbolismo religioso.